Sobre Nós

Escola Franciscana Santa Isabel

agenda01A Escola Franciscana Santa Isabel iniciou suas atividades em 09 de agosto de 1953. É mantida pela Associação Franciscana de Assistência Social Santa Maria dos Anjos e dirigida pelas irmãs Franciscanas do Coração de Maria.

Estamos a várias décadas florindo a história de Bandeirantes, no Norte do Paraná, buscou adaptar-se à realidade social, acompanhando os avanços no campo da educação e do progresso da ciência e da tecnologia.

Hoje, nossa escola integra o sistema Anglo de Ensino.

 

Filosofia

A Escola Franciscana Santa Isabel por ser uma escola confessional tem em sua filosofia de trabalho, todos os valores que contribuem para a formação do ser humano integral, como filho de Deus, construtor de seu Reino.

Por esse motivo a Escola tem a seguinte proposta que se expressa neste sonho: “Ser uma comunidade educativa, cristã e profética, participativa, solidária e libertadora, a serviço da vida e da esperança.

 

 Fundamentos Didáticos Metodológicos

A Escola Franciscana Santa Isabel, tem como objetivo formar o cidadão crítico, consciente de seus direitos e deveres com sua comunidade. Desta forma, busca oferecer à comunidade educativa, todas as modalidades de encontro do objeto do conhecimento, necessárias ao desenvolvimento de competências e habilidades.

A escola utiliza práticas de ensino que valorizam formas participativas de colaboração e solidariedade pedagógica entre os educadores e educandos.

A escola prioriza a formação cristã, além de usar recursos inovadores como:

  • Trabalhos em grupos com apresentações e debates;
  • Pesquisa científica;agenda02
  • Demonstração de técnicas em laboratórios;
  • Oficinas pedagógicas;
  • Projetos educativos interdisciplinares;
  • Músicas;
  • Danças;
  • Práticas esportivas;

 

 Equipe Administrativa

É o órgão executivo que coordena, fiscaliza e superintende todas as atividades administrativas da Escola, e que preside o funcionamento dos serviços escolares, os trabalhos dos professores e as relações da comunidade escolar com a vida exterior, sendo exercida pelo Diretor Administrativo e Diretor Pedagógico.

 

Diretora Administrativa

A Diretora administrativa é membro da Associação Franciscana de Assistência Social Santa Maria dos Anjos, religiosa e rege o funcionamento da Escola, compreendendo tomada de decisão, planejamento, execução e acompanhamento das questões administrativo-pedagógicas.

 

Diretora Pedagógica

Será exercida por uma Pedagoga, habilitada em Administração Escolar e legalmente autorizada a exercer esse cargo, de acordo com a legislação vigente da Mantenedora.

 

Horário de Atendimento

Das 7:30 às 12:00 horas.

Das 13:30 às 17:00 horas, de segunda a sexta-feira.

 

 Coordenação Pedagógica

Será exercida por uma Pedagoga habilitada em Orientação Educacional, Supervisão Escolar e ou Administração Escolar, que será designada pela Mantenedora ou indicada pela Diretora e será reconhecida como Coordenadora Pedagógica.

1º ao 9º ano – período da manhã

Das 7:30 às 12:00 horas, de segunda a sexta-feira.

Educação Infantil

Das 13:30 às 17:00 horas, de segunda a sexta-feira.

Qualquer outro horário marcar antecipadamente.

 

Corpo Docente

O Corpo Docente é constituído de professores habilitados para as diferentes séries e disciplinas e tem por finalidade efetivar o processo ensino-aprendizagem, sob a orientação e acompanhamento da Equipe Pedagógica.

 

Tesouraria

É o serviço responsável pela cobrança de taxas e mensalidades do estabelecimento, a fim de que haja um melhor atendimento. Apresentamos algumas diretrizes:

  1. o boleto bancário será entregue no ato da matrícula, juntamente com o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais;
  2. a mensalidade deverá ser paga, impreterivelmente, em qualquer Banco do Sistema de Compensação Nacional até o vencimento;
  3. o pagamento efetuado após o vencimento sofrerá acréscimo conforme consta no Contrato de Prestação de Serviços;
  4. o pagamento não é transferível a outro aluno;
  5. ao efetuar o pagamento verifique se está pagando a parcela referente ao mês que está vencendo;
  6. em caso de perda ou extravio do boleto, poderá ser requerida uma segunda via na tesouraria da Escola. Para tal procedimento procure a tesouraria, preencha o requerimento de 2ª via de boleto, pague a taxa referente ao requerimento, no prazo máximo de 48 horas quando o boleto estará disponível.
  7. mensalidade com 90 dias de atraso estarão sujeitas a serem encaminhadas aos órgãos de proteção de crédito.

Atendimento:

Das 7:00 às 12:00 horas de segunda a sexta-feira.

Qualquer outro horário, ligar ou agendar com antecedência.

 

Secretaria

É o órgão que terá a seu encargo todo o serviço de registros, da escrituração e dos arquivos escolares, bem como da documentação escolar e correspondência da Escola.

Atendimento:

Das 7:30 às 12:00 horas.

Das 13:30 às 17:00 horas, de segunda a sexta-feira.

 

Sala de Estudo (Biblioteca)

Sua finalidade é incentivar a pesquisa bibliográfica, a leitura e outras atividades de caráter pedagógico.

Todos os alunos matriculados poderão retirar livros na biblioteca obedecendo alguns critérios:

  1. o aluno pode retirar um livro de cada vez;
  2. o aluno é responsável pelo livro retirado. Em caso de perda ou dano, deverá repor o volume imediatamente;
  3. o livro deve ser devolvido pelo aluno que o retirou;
  4. o não cumprimento das regras acarretará em multa.

 

Atividades Contraturno

  • Educação Física.
  • Recuperação.
  • Avaliação.
  • 2ª chamada.

 

Entrada e Saída

Portão da rua Benjamin Caetano Zambon.

Matutino Entrada – 7:15 às 7:35 horas.

Matutino Saída – 11:50 horas (1º ao 5º ano) / 12:00 horas (6º ao 9º ano).

Vespertino Entrada – 13:00 às 13:10 horas.

Vespertino Saída – 17:00 horas.

 

Uniforme

O uniforme adotado pela escola é de uso obrigatório em todas as atividades escolares. Camiseta branca, bermuda, calça comprida e agasalho na cor bordô.

O uniforme pode ser adquirido na Confecção Kaema Uniformes ( Rua Abílio Franco Agra, 287 – Fone: 3542-2681)

 

Educação Física

Para as aulas de Educação Física o aluno deverá vir uniformizado, conforme a orientação da escola.

 

Dispensa ou Justificativa

O aluno será dispensado da aula de Educação Física se apresentar problema de saúde, comprovado por atestado médico, que deverá ser entregue na Secretaria ou se residirem em outro município.

 

Formas de Comunicação

A comunicação entre a escola e a família será feita através dos seguintes meios:

  1. Carta ou comunicado – são correspondências enviadas pela Escola através do aluno ou via correio. Quando solicitado, devem ser assinadas e devolvidas para a Escola.
  2. Site da Escola –  constando: atividades extraclasses, orientações gerais, informações de interesse da Comunidade Escolar.
  3. Boletim: trimestralmente a Escola divulga os resultados do aproveitamento da frequência e a nota do aluno através do Boletim.

 

 Orientações sobre Avaliação Conforme o Regimento Escolar

SEÇÃO I – Da Avaliação da Aprendizagem

Art. 86. A avaliação deve ser entendida como um dos aspectos do ensino, pelo qual o professor estuda e interpreta os dados da aprendizagem e de seu próprio trabalho, com a finalidade de acompanhar e de aperfeiçoar o processo de aprendizagem do aluno, bem como diagnosticar seus resultados e atribuir-lhes valor.

Art. 88. A aval(ação deverá obedecer à ordenação e à sequência do ensino e da aprendizagem, bem corno a orientação do currículo.

Art. 90. A avaliação será contínua, permanente e cumulativa.

Art. 91. Na avaliação serão usados diferentes instrumentos: trabalhos em grupo, relatórios, debates em sala de aula, análise de situações, pesquisas. atividades extraclasse, testes e provas.

Art. 92. Para efeito da verificação do desempenho escolar e da frequência, o ano letivo será dividido em:

  1. três trimestres para o Ensino Fundamental e para o Ensino Fundamental de nove anos;

Art. 93. O resultado da avaliação trimestral será transcrito pela secretaria, nos documentos escolares, e, oportunamente, comunicado aos pais, através de instrumentos próprios da Escola.

Art. 94. Na Educação Infantil a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, em fichas descritivas, elaboradas pelo professor, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao Ensino Fundamental.

Art. 95. O rendimento mínimo exigido pelo Estabelecimento é a nota 6,0 (seis) por matéria, por conteúdo específico ou disciplina, resultando da sorna das avaliações trimestrais.

Art. 96. No final do ano letivo do Ensino Fundamental, será calculada a média anual dos alunos, somando-se os resultados trimestrais e dividindo-se o total por 3 (três).

Art. 99. – A avaliação de conhecimentos e. habilidades será desenvolvida pelo professor ou por urna pessoa indicada pela Direção, sob a orientação do Coordenador Pedagógico, observadas as seguintes condições:

  1. dentro do roteiro trimestral, estabelecido pelo professor e apresentado ao Serviço Técnico-Pedagógico, sendo por este aprovado;
  2. valorização de aspectos que expressam o aperfeiçoamento do aluno, ao trabalho;
  3. constarão, em cada etapa trimestral, no mínimo, três (03) tarefas individuais e/ou grupais, de verificação do aproveitamento escolar, tais como avaliações programadas em calendário, avaliações processuais, exercícios, pesquisas, trabalhos em grupo e individuais, entre outros, realizados em cada conteúdo curricular;
  4. apresentação de relatório específico, ao Serviço Técnico Pedagógico, esclarecendo sobre

todos os critérios adotados, para a atribuição dos respectivos pontos cumulativos, em cada turma de aluno, ao final de cada etapa trimestral.

  • § 1°. O professor encaminhará ao Serviço Técnico Pedagógico, até o final da 1° semana do trimestre ou bimestre, os respectivos gabaritos e/ou indicação dos critérios de correção de todas as tarefas de avaliação da aprendizagem, propostas para a referida etapa trimestral ou bimestral.
  • § 2°. Para assegurar a integração e o melhor nível de ensino. a Escola poderá, trimestralmente, estabelecer uma avaliação especial, aplicada em uma ou em todas as séries, em algumas ou em todas as matérias, cujo valor não excederá a 1/3 (um terço) do total de pontos, da etapa em que for realizada.

2ª Chamada

  • § 3º. Será concedida 2ª chamada, para realizar tarefas de avaliação, somente ao aluno que, até 02 (dois) dias úteis, após sua ocorrência, a requerer à Direção. do Estabelecimento, através ‘da Secretaria, comprovada uma das seguintes condições:
  1. luto em família;
  2. consulta médica ou odontológica;

III. convocação para atividades cívicas ou jurídicas e impedimentos por motivos religiosos:

  • § 4º. As avaliações de 23 chamada serão realizadas em dias e horários determinados pela Coordenação Pedagógica / Direção.
  • § 5º. Os casos que não constam dos itens acima, serão estudados e deliberados pela Direção do Estabelecimento.
  • § 6°. As avaliações de 28 chamada terão as seguintes implicações pedagógicas:
  1. elaboração de outra avaliação pelo professor
  2. conteúdo total do trimestre para o (a) aluno (a) estudar.
  3. atraso na entrega dos resultados trimestrais .
  4. voltar à escola em horário contrário.
  5. ficar sem nota, se as razões, não forem comprovadas.
  6. no dia da avaliação o (a) aluno (a) deverá apresentar-se uniformizado e chegar 15 minutos antes do início da avaliação. Ao aluno (a) ausente, será atribuída nota zero.

Art. 100. O registro de avaliação, pelo professor, no Curso de Ensino Fundamental, será contínuo e, no final do trimestre, será expresso em nota, numa escala de 0,0 (zero) a 10,0 (dez vírgula zero).

Art. 101. Na avaliação deverão ser assegurados a individualidade do aluno e o seu domínio dos conteúdos necessários. Caberá ao Conselho de Classe o acompanhamento do processo de avaliação, devendo debater e analisar todos os dados que intervêm na aprendizagem.

Art. 102. A avaliação deverá ser registrada em documentos próprios, a fim de ser assegurada a regularidade e a autenticidade da vida escolar do aluno.

SEÇÃO II – Da Recuperação de Estudos

Art. 103. Os alunos que não atingirem a média 6,0 (seis) ao final de cada avaliação trimestral a escola proporcionará recuperação de estudos, exceto ao final do terceiro trimestre quando será oferecida a Recuperação Final de Estudos.

Art. 104. A recuperação de estudos será planejada, constituindo-se num conjunto integrado ao processo de ensino, além de se adequar às dificuldades dos alunos.

Art. 107. A recuperação paralela e periódica, nas áreas de conhecimento de Língua Portuguesa e Matemática serão ofertadas no contra turno.

Art. 108. Na recuperação de periódica, nas áreas de conhecimento de História, Geografia, Ciências, Educação Artística, Educação Física, L.E.M. Inglês e Ensino Religioso serão realizadas nas datas previstas em calendário e suscetível de avaliação.

  • § 1°. Sempre que b resultado da recuperação for inferior ao do trimestre, será desconsiderado.
  • § 2°. Se o resultado da recuperação for superior à nota trimestral, aplicar-se-á a seguinte fórmula para obter a média trimestral:

(Nota Trimestral Nota da Recuperação) + 2

SEÇAO III – Da Promoção

Art. 110. A promoção resultará da combinação do resultado da avaliação do aproveitamento do aluno, expresso na escala de nota de 0,0 (zero) a 10,0 (dez vírgula zero). e apuração da assiduidade.

Art. 111. Será considerado aprovado o aluno de 1ª a 8ª série que apresentar frequência igual ou superiora 75% (setenta e cinco por cento) do total da carga horária, do período letivo, (800 horas), e média anual igual ou superiora 6,0 (seis vírgula zero), resultante da média aritmética dos trimestres, nas respectivas disciplinas, como se segue:

1° Trim. + 2° Trim. + 3° Trim. = MF

Art. 113. Será considerado reprovado o aluno que apresentar: I. frequência inferior a 75% (setenta e cinco por cento) sobre o total da carga horária do período letivo, e média anual inferior a 6,0 (seis vírgula zero); frequência inferior a 75% (setenta e cinco por cento) sobre o total da carga horária do período letivo (800 horas), com qualquer média anual.

Art. 114. O aluno que apresentar frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) e média inferior a 6,0 (seis vírgula zero), mesmo após os Estudos de Recuperação, ao longo da série ou período letivo, será submetido à análise do Conselho de Classe, que definirá pela sua aprovação ou não.

Art. 115. Encerrado o processo de verificação do rendimento escolar, o Estabelecimento registrará na documentação escolar do aluno, sua condição de aprovado ou reprovado. Parágrafo Único. O Estabelecimento adotará a seguinte síntese do sistema de avaliação:

 

[INSERIR TABELA]

 

Direitos e Deveres Capitulo III – Corpo Discente

Art. 184. O corpo discente é constituído pelos alunos regularmente matriculados no Estabelecimento.

Art. 185. Na matrícula inicial, o aluno e seus pais tomarão conhecimento das disposições deste Regimento, assumindo o compromisso de cumpri-las.

Direitos e Deveres Capitulo III – Corpo Discente

Art. 186. Além dos direitos que lhe são outorgados pela legislação aplicável, são direitos do aluno:

  1. Ser respeitado em sua condição de ser humano e não sofrer qualquer discriminação;
  2. Assistir às aulas e participar das demais atividades escolares sem obstáculos que lhe sejam „ interpostos por motivos independentes da sua vontade e possibilidades;
  3.  Ter ensino de qualidade ministrado por profissionais capacitados para o exercício de suas funções e atualizados em sua área de atuação;
  4. Sugerir aos diversos setores e serviços da Escola medidas que viabilizem melhor funcionamento das atividades;
  5. Organizar-se em associações culturais, cívicas, esportivas e, religiosas, segundo normas aprovadas pela Direção do Estabelecimento.

SEÇÃO II – Dos Deveres

Art. 187. Entre outros, são deveres do aluno:

  1. Manter e promover relações cooperativas e de solidariedade no ambiente escolar;
  2. Executar tarefas definidas pelos docentes, que venham a colaborar no processo de aquisição do conhecimento, sejam estas no horário escolar ou fora dele;
  3. Trazer-todo o material necessário para as aulas:
  4. Cooperar na manutenção da higiene e na conservação das instalações escolares, móveis, material de esporte e de laboratório, livros da Biblioteca e outros, responsabilizando-se pelos estragos que, porventura causar;
  5. Apresentar-se às aulas uniformizado, de acordo com as condições estabelecidas pela Escola;
  6. Respeitar seus colegas e todos os profissionais da Escola;
  7. Participar das atividades programadas e desenvolvidas pela Escola, tais como aulas, sessões cívicas, religiosas, artísticas, esportivas, culturais e outras;
  8. Cumprir as determinações da Equipe Pedagógico-Administrativa, dos Professores e Funcionários, nos respectivos âmbitos de competência;
  9. Assumir e responder por todo ato de transgressão, de infração às ordens e determinações regimentais ou da Direção da Escola;
  10. Comparecer pontualmente às aulas e às demais atividades, mantendo assiduidade;
  11. Usar uniforme e documentos de identificação, quando exigidos;
  12. Apresentar solicitação por escrito e assinada pelos pais, para fins de saída antecipada;
  13. Cumprir as disposições deste Regimento, no que lhe couber.

SEÇÃO III – Das Proibições

Art. 188. É vedado ao aluno:

  1. Entrar e sair da sala, durante a aula, sem autorização do respectivo professor;
  2. Ausentar-se da Escola em horário escolar sem expressa autorização da Direção;
  3. Ocupar-se durante as aulas com trabalhos estranhos às mesmas;
  4. Trazer para a Escola material de qualquer natureza estranha ao estudo, como: celulares, estilete, Ipod, mp3, mp4, mp5… jogos eletrônicos e outros. Eles poderão ser recolhidos e entregues somente para os pais, em dia e horário determinado pela escola;
  5. Tomar bebidas alcoólicas ou fumar nas dependências da Escola;
  6. Promover jogos, excursões, coletas, listas e pedidos ou fazer promoções e campanhas do qualquer natureza, sem a prévia autorização da Direção;
  7. Ligar do telefone público para casa ou para pessoas estranhas, sem comunicar a Direção;
  8. Apropriar-se de qualquer material do colega ou da Escola;
  9. Criar situações que gerem violência, agressividade e desrespeito dentro e nas imediações da Escola;
  10. Danificar qualquer material pertencente à escola ou a colegas, o que implicará à reposição do mesmo;
  11. Insultar, com palavras agressivas, professores, funcionários e colegas;
  12. Entrar na escola com uniforme descosturado, recortado ou com outras desordens. O mesmo deve ser usado da maneira que foi adquirido, ou seja, conforme estabelecido pela escola, na fábrica de uniformes;
  13. Entrar em sala de aula, sem estar devidamente matriculado ou autorizado pela direção;
  14. Agredir fisicamente colega, professores e funcionários.

SEÇÃO IV – Das Sanções

Art. 189. Conforme Legislação – Decreto-Lei n.º 270, de 01 de setembro de 1998, em caso de transgressão às normas disciplinares, professores e Direção dará primazia ao aconselhamento e ao diálogo sobre a penalidade. Entretanto, não havendo resultado satisfatório, a falta disciplinar será punida com uma das seguintes penalidades:

  1. repreensão verbal;
  2. advertência por escrito – será solicitada a presença do responsável;
  3. suspensão pedagógica das aulas no máximo de 3 dias – o aluno ficará na sala sob a Orientação do Serviço Técnico-Pedagógico, realizando tarefas;
  4. Transferência compulsória;
  • § 1°. Conforme a gravidade da falta praticada, poderá ser aplicada, ao membro do corpo discente, desde logo, qualquer uma das penalidades acima, independente da ordem em que foram enumeradas, levando-se em consideração o Estatuto da Criança e do Adolescente;
  • § 2°. Em qualquer dos casos dar-se-á direito à-ampla defesa do infrator.

Art. 190. No caso de aluno, o pai ou responsável deverá tomar conhecimento das medidas que deverão ser adotadas.

Quaisquer dúvidas em relação aos itens acima, por gentileza procurar a Direção.